domingo, 25 de junho de 2017

Ruben Guerreiro de Portugal



Era até antes de ontem campeão nacional de fundo do escalão sub-23, este ano, o seu primeiro como elite, a correr na Trek Segafredo ao lado de nomes como Alberto Contador. A partir de hoje, é campeão nacional de elites.

Ruben Guerreiro tem apenas 22 anos, mas tem para trás um palmares gigante, com Volta a Portugal do Futuro de 2014, Volta ao Alentejo de 2015 entre outras pequenas conquistas.

O corredor natural do Montijo, foi o mais forte numa prova que faz lembrar as Clássicas das Ardenas que o próprio fez questão de referir na flash interview quando questionado sobre o percurso, criado com um toque do seu colega de equipa e gondomarense André Cardoso.

A prova propriamente dita teve um arranque muito rápido, sempre muito atacada até ao fim. Esse ritmo fez logo mossa nos corredores mais pesados que acabaram por ficar para trás e desistir. W52-FCPorto e RP-Boavista colocavam sempre alguém na frente. Nas ultimas voltas Joaquim Silva foi primeiro começar a lançar o pânico entre as outras equipas com depois o dueto Domingos Gonçalves e Tiago Feireira a ficar juntos quase até à penúltima volta. Domingos atacou e ficou sozinho cumprindo mais de 1 volta em solitário. O agora campeão nacional de contrarrelógio caiu a cerca de 15 kms da meta, onde ficou muito maltratado e acabou por ser alcançado pelo grupo que o perseguia. Nos 750 metros a subir para meta, António Carvalho ainda atacou, mas foi o ataque de Guerreiro que mais diferenças fez. Rui Vinhas, vencedor da Volta a Portugal de 2016 quase que dava continuação às festas de S.João em Sobrado, mas foi “apenas” 2º classificado. Ricardo Vilela foi o 3º a cruzar a meta, “batendo uma vez mais na trave” palavras do próprio.

O ex campeão nacional José Mendes ficou para trás muito cedo, fruto das fortes movimentações, mas é de tirar o chapéu por nunca ter desistido da prova. Foi o ultimo a cruzar a meta a mais de 8 minutos.

Lista dos Novos Campeões Nacionais

Bélgica: Oliver Naesen (AG2R)
Espanha: Jesus Herrada (Movistar)
Itália: Fabio Aru (Astana) Rinaldo Nocentini foi 3º
Holanda: Ramon Sinkeldam (Sunweb)
Grá-Bretanha: Stephen Cummings (Dimension Data)
França: Arnaud Demare (FDJ)
Alemanha: Marcus Burghardt (Bora)
Polónia: Adrian Kurek (CCC)
Noruega: Rasmus Tiller (Jokel)
Eslováquia: Juraj Sagan (Bora) Peter Sagan foi 2º 
Eslovénia: Luka Mezgec (Orica)
Suiça: Silvian Dillier (BMC)
Dinamarca: Mads Pedersen (Trek)
Irlanda: Ryan Mullen (Cannodale)
Rússia: Alexander Porsev (Gazprom)
Republica Checa: Zdenek Stybar (Quick Step)
Austria: Gregor Muhlberger (Bora)
Luxemburgo: Bob Jungles (Quick-Step)
USA: ainda por apurar


domingo, 18 de junho de 2017

Dennis vence contrarrelógio, Spilak conquista 2ª Volta à Suíça



Rohan Dennis voou na ultima etapa para conquistar a vitória. O australiano impões um tempo fora do previsto, já que a organização tinha colocado com melhor média os 37 minutos para completar o percurso e Dennis fez em apenas 36:31.
Stefan Kung foi o segundo melhor na etapa.
Damiano Caruso ainda foi o terceiro melhor na etapa, mas Simon Spilak não deixou aproximar-se do seu primeiro lugar.
Rui Costa garantiu o seu quinto lugar, com a 17ª posição na etapa.

Nelson Oliveira foi 25º a 1:58, mas perdeu cerca de 1 minuto numa saída de estrada, que podia ter tido efeitos catastróficos. O campeão nacional da especialidade parece estar pronto para lutar pela revalidação do título. 

sábado, 17 de junho de 2017

José Gonçalves lidera ZLM Toer






O corredor português venceu hoje a penúltima etapa, e com os segundos de vantagem que obteve, conseguiu ascender à liderança da prova.

Primoz Roglic, ex-líder, foi 3º na etapa a 22 segundos de Gonçalves, e é agora 2º da geral a 8 segundos.

Amanhã ultima tirada com 180 kms de distância. José Gonçalves está a um passo de vencer a competição holandesa.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Rui Costa 2º na vitória de Pozzovivo



Rui Costa foi hoje 2º classificado, numa etapa marcada por uma chegada em condições meteorológicas adversas.

O português bateu Ion Izaguirre e Matthias Frank num sprint reduzido na discussão pelas bonificações, depois da vitória, 4 segundos antes, de Domenico Pozzovivo. O italiano atacou no final da ultima subida e aproveitou a descida para fazer diferenças. O trio onde se encontrava o Rui, foi, já na descida, à procura da vitória, mas sem sucesso.

Damiano Caruso cedeu15 segundos, e fruto das bonificações, Domenico Pozzovivo é o novo líder da prova.


Rui Costa sobe à 7º posição, a 54 segundos da liderança.
Nelson Oliveira foi 36º na etapa. 

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Sagan vence com estilo a 5ª etapa da Volta à Suíça


Peter Sagan venceu esta tarde ao sprint a 5ª etapa da prova transalpina batendo Michael Albasini e Matteo Trentin.

Uma etapa marcada por muitas quedas e muitos abandonos, como Castroviejo e Miguel Angel Lopez, vencedor da edição do ano passado.

Na geral, tudo igual, com Caruso a manter a liderança, e Rui Costa a 8ª posição a 1:11 do italiano.
Nelson Oliveira é agora 64ª a 18:38.

Amanhã os corredores têm mais uma chegada em alto, numa tirada de 166,7kms.

terça-feira, 13 de junho de 2017

Larry Warbasse vence 4ª etapa da Volta à Suíça

O americano teve a sua primeira vitória como profissional e deu a primeira vitória de World Tour à sua equipa Aqua Blue Sport. Americano atacou o pelotão juntamente com mais 3 corredores logo nos primeiros 15 kms da etapa. Até ao fim, foi-se vendo livre dos companheiros de fuga.

Numa outra luta, Damiano Caruso, 2º na etapa, ascende à liderança da prova.

Rui Costa foi 10º na etapa, mas cedeu cerca de 50 segundos para o novo líder. É agora 8º a 1:10 da camisola amarela.

Nelson Oliveira foi 48º na etapa e é 71º da geral.

Tom Dumoulin, vencedor do Giro, perdeu mais de 6 minutos e estará à partida fora da geral. O mesmo se passa com Ion Izaguirre, o espanhol é um dos grandes candidatos a vencer o Tour de France e por consequente esta prova, mas hoje perdeu 4 minutos, tempo que poderá nunca mais recuperar.


Independemente da etapa de hoje, os corredores ainda têm pela frente 3 subidas em alto e um contrarrelógio bastante duro. 

domingo, 11 de junho de 2017

Gilbert continua vitorioso, desta vez na Suíça



O belga, Philippe Gilbert foi grande vencedor da primeira etapa em linha da Volta a Suíça, com Patrick Bevin e Anthony Roux a completarem o pódio da etapa, com Sagan e Matthews dentro do Top 10.

Stefan Kung ascende à geral, depois de Rohan Dennis ter ficado retido uma queda e cedido tempo.

Rui Costa esteve muito ativo, onde a chegou a atacar por diversas ocasiões.

Nelson Oliveira chegou fora do grupo restrito que discutiu a etapa.


Amanhã teremos uma etapa mais plana, da qual, se espera, uma chegada calma ao sprint. 

Jakob Fulgsang vence etapa e Criterium Dauphine



Uma etapa dramática cheia de emoção, discutida até aos últimos metros, com a vantagem e a vitória na geral a ser decidida pelas bonificações.

Richie Porte desceu para o segundo lugar, mas a melhor troca recaí para a entrada de Daniel Martin para o último lugar do pódio, com Froome a terminar na 4ª posição.

Alberto Contador sofreu muito para terminar a etapa, ficando fora do Top 10 final.

Excelente atuação de André Cardoso que conclui o Criterium na 19ª posição.

Numa lindíssima paisagem uma investida de Aru e Valverde começou por fazer moça. Pelotão fracionado, entre dueto da frente, grupo de Bardet e a luta da juventude, outro com Contador e ainda Porte e Froome, juntos como antigamente. Só que amizade entre eles, deve ter ficado estragada, depois do 3 vezes vencedor da Volta à França, deixar sozinho o líder da prova. Juntou-se tudo, exceto Porte, que fez mais de 30 kms em contrarrelógio individual. O ataque de Froome prejudicou Porte, mas prejudicou muito mais Froome, que foi mais tarde ultrapassado por Porte e ficou fora da etapa e pódio.

O dinamarquês da Astana no seu ritmo foi ganhando terreno até festejar a vitória, com cara de quem tinha mais para dar.


Estamos agora a menos de 20 dias para o inicio do Tour de France. Depois deste Dauphine que é para si o grande favorito a vence a prova? Não esquecer que ainda há candidatos a correr na Volta à Suíça. 

sábado, 10 de junho de 2017

Rohan Dennis primeiro líder da Volta à Suíça.


O corredor australiano Rohan Dennis (BMC) é o primeiro líder da Volta á Suíça, ao vencer a primeira tirada, um contrarrelógio de 6 quilómetros disputado em Cham.

Dennis foi o mais rápido no esforço individual, com Stefan Kung (BMC), no segundo posto a 8 segundos e Matthias Brandle (Trek-Segafredo), no terceiro a 9.

Quanto aos portugueses, Nelson Oliveira (Movistar), terminou no 48º posto, a 28s, Rui Costa (UAE Team Emirates), foi 61º, a 29s.

Este domingo o pelotão disputa a segunda etapa da prova, disputada novamente em Cham, com 172,1 quilómetros.


Escrito por: Marco Faria

Peter Kennaugh vence no Alpe d’Huez




O britânico da Sky foi o mais resistente da fuga do dia e na ascensão do Alpe d’Huez conseguiu uma das mais importantes vitórias da sua carreira. Ben Swift, ex-companheiro de Kennaugh e atual companheiro de Rui Costa, foi 2º classificado.

Na luta pela geral, Richie Porte ainda aumentou a vantagem para os seus mais diversos adversários. Apenas Romain Bardet, que atacou na subida anterior, de categoria Especial, retirou cerca de 40 segundos, mas nada que colocasse em risco a liderança do australiano. Porte está a uma etapa de vencer o Criterium Dauphine, com bons indicadores para o Tour.

André Cardoso aguentou até ao fim com os grandes favoritos. É agora 25º da geral.

Tiago Machado que tinha caído ontem, e ficado em bastante mau estado, mostrou a sua fibra, e alinhou à partida para esta etapa, mas não conseguiu concluir a etapa. Desejamos uma boa recuperação ao corredor luso.


Uma palavra para Delio Fernandez, que teve uma etapa brilhante, onde por pouco não discutiu a vitória final.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Richie Porte vence contrarrelógio do Dauphiné.


O corredor australiano Richie Porte (BMC) venceu a quarta tirada do Critério do Dauphiné, um contrarrelógio com 23,5 quilómetros de extensão a ligar La Tour-du-Pin e Bourgoin-Jaillieu.

Porte foi o mais rápido no esforço individual, com Tony Martin (Katusha-Alpecin), no segundo posto a 12 segundos, e no terceiro Alejandro Valverde (Movistar), a 24.

Thomas de Gendt (Lotto-Soudal), conseguiu terminar dentro do top-10, conseguindo assim segurar a sua liderança. No segundo posto está Richie Porte, a 27 segundos e Alejandro Valverde, no terceiro a 51.

Quanto aos portugueses em prova, Tiago Machado (Katusha-Alpecin), terminou a tirada de hoje no 34º posto, a 1m36s de Porte, enquanto que André Cardoso (Trek-Segafredo), foi 120º, a 3m21s.

Na geral, Machado é 47º, a 3m13s enquanto que Cardoso ocupa o 55º posto, a 3m48s.

Esta quinta-feira os corredores disputam a quinta tirada, uma ligação entre La Tour-de-Salvagny e Mâcon, com 175,5 quilómetros de extensão.


Escrito por: Marco Faria

Koen Bouwman vence 3ª etapa do Dauphine

Foto: CyclingNews

Mais uma fuga a vingar no Dauphine, desta vez, com a vitória a sorrir ao holandês Koen Bouwman. Evaldas Siskevicius e Frederik Backaert foram, respetivamente, 2º e 3º.

Arnaud Demare foi o primeiro do pelotão, 11 segundos depois do sexteto que discutiu a vitória.

André Cardoso e Tiago Machado chegaram integrados no pelotão. Encontram-se na 36ª e 62ª posição.

Thomas de Gendt continua com a sua amarela.

Com este resultado o francês Demare ascende à liderança da classificação por pontos. Mesmo com os pontos alcançados durante a etapa, o vencedor da etapa não chega à liderança da montanha, mas andará certamente mais um dia com ela, visto que De Gendt continua de amarelo. Pierre Latour não larga a branca.


Esta tarde teremos o contrarrelógio, que muitas alterações vai fazer na geral, com os tubarões da geral a começarem a definir diferenças entre eles.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Arnaud Demare vence 2ª etapa do Dauphine



O francês da FDJ foi o homem mais rápido da segunda tirada batendo Alexander Kristoff e Nacer Bouhanni num sprint.

Nas contas pela geral, dia tranquilo para o amarelo De Gendt e também para os favoritos à vitória final.

Nenhum alteração a assinalar nas classificações dos portugueses.

Sonny Colbrelli ascende à liderança da camisola dos pontos. Montanha e Juventude permanecem intactas, De Gent e Latour, respetivamente.

Amanhã espera-se mais uma etapa calma, para os sprinters discutirem. 

domingo, 4 de junho de 2017

Alarcón vence etapa, Jesús del Pino vence GP Internacional Beiras e Serra da Estrela.


O corredor espanhol Raúl Alarcón (W52-FCPorto), venceu a terceira e última tirada do GP Internacional Beiras e Serra da Estrela, com Jesús del Pino (Efapel), vencer a geral da prova.

A tirada de hoje era a mais curta da prova, mas também aquela que mais diferenças na geral podia trazer, devido à passagem pelo ponto mais alto de Portugal Continental, o alto da torre, uma subida com 28,5 quilómetros que se iniciou em Seia.

Durante a subida a W52 comandou as operações na frente do pelotão, colocou um ritmo forte e alcançou a fuga. Alarcón aproveitou o trabalho dos colegas e atacou, isolando-se na frente da corrida, chegando a ter cerca de 2 minutos para os seus perseguidores.

Na meta Alarcón venceu, com João Benta (Rádio Popular-Boavista), no segundo posto e Dimitri Strakhov (Lokosphinx), no terceiro, ambos a 1m24s do valenciano.

Jesús del Pino conseguiu terminar no primeiro grupo perseguidor da frente da corrida, sendo o único dos corredores provenientes da fuga a consegui-lo. Pino aproveitou então a distância ganha na primeira etapa da prova, para se sagrar assim o vencedor do GP Internacional Beiras e Serra da Estrela, arrecadando assim aos 26 anos de idade a sua maior vitória da carreira. No segundo posto terminou Alexander Evtushenko (Lokosphinx), a 58s e no terceiro Beñat Txoperena (Euskadi Basque Country-Murias), a 1m11s.

O melhor português na geral, foi Ricardo Mestre (W52-FC Porto), a 2m15s de Pino.

Quanto às restantes classificações, Rui Sousa (Rádio Popular-Boavista), foi o rei da montanha, Sérgio Paulinho (Efapel), venceu a camisola das metas volantes e a camisola de melhor jovem ficou no corpo de Dmitri Strakhov (Lokosphinx).


Escrito por: Marco Faria

Thomas de Gendt vence a solo


O belga ganhou a primeira etapa do Criterium Dauphine e assim o primeiro líder da prova. A etapa ficou definida desde muito cedo, com uma fuga, composta pelo Belga, o nosso conhecido, Delio Fernandez, Angel Madrazo, Alex Dumont, Antonio Nibali, Romain Sicard e Silvio Herklotz. O conjunto chegou a ter 7 minutos de vantagem e percebeu-se que o pelotão não ia ter vontade de cancelar a fuga. Ainda assim De Gent leva apenas 1 minuto de avanço.

André Cardoso foi o melhor português chegando integrado no pelotão. Tiago Machado perdeu 2 minutos, 1 minuto sobre os favoritos.


Ainda que tenham muita montanha, as próximas duas etapas serão, à partida, discutidas entre os sprinters presentes, até ao contrarrelógio de quarta.

sábado, 3 de junho de 2017

Omar Mendoza dá vitória à Equio Bolivia

Foto: João Fonseca UVP-FPC


O colombiano Omar Mendoza venceu hoje em Trancoso a segunda etapa do GP das Beiras e Serra da Estrela. O russo Alexander Evtushenko mantem a liderança da prova.

Uma fuga inicial que chegou a ter mais de 5 minutos de vantagem sobre o pelotão, mas que com a dificuldade das contagens de montanha, deixaram um companheiro de Mendoza na frente sozinho. Com o objetivo de manter a camisola da montanha, conquistada ontem, Mendoza saiu do pelotão e não só cumpriu o primeiro objetivo como um segundo, a vitória na etapa.
Na luta pelo 2º lugar, Vicente de Mateos (Louletano) foi o mais forte, batendo Daniel Mestre (Efapel) que ocupou a 3ª posição.

Classificação Geral à partida para a derradeira Etapa:
1º Alexander Evtushenko (Lokosphinx) 10:23:24
2º Ricardo Mestre (W52-FCPorto) +0:08
3º Jesus del Pino (Efapel) +0:10
4º Nikodemus Holler (Bike Aid) +3:07
5º Vicente de Mateos (Louletano) +3:43
6º Daniel Mestre (Efapel) +3:45
7º Sergio Paulinho (Efapel) m.t.
8º David de la Fuente (Louletano) +3:46
9º Bruno Silva (Efapel) +3:47

10º David Rodrigues (RP Boavista) +3:48

Trek Segrafredo vence prova de Sprint da Hammer Series


A equipa norte-americana foi hoje a mais forte e mais competitiva a conseguir pontuar em todas as voltas, batendo por 9 pontos a Lotto Soudal. A Cannondale-Drapac, mesmo com o esforço de Sep Vanmarcke, ficou-se pela terceira posição.

Com esta prova, ocorreu uma revolução na classificação e consequente partida para amanhã. 
A primeira classificada será a primeira a sair (Sunweb), com a segunda (Sky) a partir 30 segundos depois. E assim consecutivamente. A primeira equipa a cruzar a meta, é declarada a vencedora.
  Classificação Sprint
1. Trek-Segafredo 70,7 pts
2. Lotto Soudal 60,9 pts
3. Cannodale-Drapac 59,6 pts
4. Sky 50,9 pts
5. Sunweb 43,6 pts
6.  Nippo-Vini Fantini 40,4 pts
7. Team Lotto-NL Jumbo 35,4 pts
8. Bahrain Merida 26,5 pts
9. Quick-Step Floors 24,3 pts
10. Orica-Scott 23,1 pts
11. UAE Emirates 19,9 pts
12. Movistar 16,7 pts
13. BMC 11 pts
14. Roompot-Nederlandse 10 pts
15. Caja Rural 6,6 pts
16. Israel Cycling Academy 5,6 pts

Classificação Geral
1.      Sunweb
2.      Sky +30’’
3.      Lotto Soudal 59’’
4.      Nippo Vini Fantini 79’’
5.      Movistar Team 85’’
6.      Cannodale Drapac 109’’
7.      Orica Scott 122’’
8.      Trek Segrafredo 129’’
9.      LottoNL Jumbo (2º RONDA)
10.  Quick-Step Floors 31’’
11.  BMC 55’’
12.  Bahrain Merida 78’’
13.  UAE Emirates 93’’
14.  Roompot-Nederlandse 105’’
15.  Israel Cycling Academy 120’’
16.  Caja Rural 135’

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Entrevistas Grande Prémio Jornal de Noticias

 
     
Escrito por: Miguel Simões

  A equipa do Ciclismo Mundial esteve presente na cronoescalada, que ligou o centro de Barcelos ao alto da Franqueira, da 27ª edição do GP JN e esteve à conversa com Vicente Garcia de Mateos, Gustavo Veloso e Sérgio Paulinho para tentar saber o que esperar destes corredores e suas equipas na Volta a Portugal 2017.

   Vicente Garcia de Mateos, do Louletano, afirmou que vai à Volta a Portugal com o objetivo de ganhar a classificação geral. Depois dos resultados do ano passado, é legítimo afirmar que o ciclista espanhol tem todas as condições para conseguir um bom resultado. A nível individual, De Mateos tem o grande objetivo de chegar a uma equipa World Tour, mas afirma que se sente bem no Louletano e, caso não hajam boas propostas de um escalão superior, irá manter-se nesta equipa na próxima temporada.

   Gustavo Veloso, da W52-FCP, quer também vencer a Volta a Portugal deste ano. O galego que foi duas vezes 1º e duas vezes 2º nos últimos 4 anos diz que quer “desempatar” os lugares obtidos anteriormente. Veloso disse também sentir-se bem a competir a este nível e quer fazê-lo até aos 40 anos! O galego diz também que, a união da equipa é um dos grandes pilares do grupo e sonha subir de escalão com este grupo.


   Sérgio Paulinho esteve muitos anos no World Tour, mas encontra-se agora na Efapel. O português quer discutir a Volta e estar entre os melhores. Paulinho está satisfeito com o regresso a Portugal e afirma que a época está a correr muito bem dentro do que tinha previsto. Sérgio não quer, no entanto, fazer comparações entre o pelotão nacional e o World Tour, mas afirma estar contente com as condições que encontrou no ciclismo nacional.

Alexander Evtusheno vence em Celorico da Beira

Foto: UVP - FPC

O russo da Lokoshinx ganhou a primeira etapa do Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela. Jesus del Pino (Efapel) e Ricardo Mestre (W52-FCPorto) fecharam o pódio da primeira tirada.

A ligação de 199kms, que lugou Penamacor a Celorica da Beira, teve uma fuga tardia a vencer a etapa. O quarteto (faltou referir o 4º classificado, Beñat Txoperena da Euskadi Basque) fugiu do pelotão a cerca de 70 kms da meta e não mais foram alcançados.

Marcos Jurado foi o primeiro do pelotão, que chegou após 4 minutos do vencedor, seguido de Samuel Blanco (LA), Daniel Mestre (Efapel), Raul Alarcon (W52-FCPorto) e Vicente de Mateos (Louletano). Antes, numa posição intermédia, Nilodemus Holler cruzou a meta.


Amanhã a etapa terá 192 kms, entre Fornos de Algodres e Trancoso. Ricardo Mestre, devido às diferenças da etapa de hoje, apresenta-se como grande candidato à vitória final da prova. 

Movistar primeira líder da Hammer Series


A Movistar venceu hoje a prova de “climber”, primeira prova da Hammer Series, que continha um pequeno percurso de 7 kms com 11 voltas pontuáveis. Carlos Betancur foi um dos protagonistas, passando em grande parte das metas na primeira posição. Nelson Oliveira também contribuiu para a pontuação da sua equipa. Juntamente com Marc Soler somaram 98,9 pontos.

Passado 5 dias de vencer o Giro, Tom Dumoulin deu a 2ª posição à Team Sunweb, com 144,8 pontos. Em terceiro, a Sky, com Tao Hart em grande destaque. O inglês sofreu uma queda numa das provas, prejudicando a luta pela segunda posição.

Amanhã será o dia de “sprint” com 8 X 12,4kms num circuito totalmente plano.
Classificação:
1.                      Movistar 144,8 pts (-15’’)
2.                      Sunweb  98,9 pts (-12’’)
3.                      Sky 84,7 pts (-10’’)
4.                      Orica-Scott 83,3 pts (-8’’)
5.                      BMC 75,2 pts (-6’’)
6.                      Nippo-Vini Fantini 53,6 pts (-5’’)
7.                      Quick-Step Floors 53 pts (-4’’)
8.                      Team Lotto-NL Jumbo 27,7 pts (-3’’)
9.                      Lotto Soudal 23,7 pts (-2’’)
10.                  Cannodale-Drapac 2,3 pts (-1’’)
11.                  Roompot-Nederlandse
12.                  Bahrain Merida
13.                  Trek-Segafredo
14.                  UAE Emirates
15.                  Caja Rural

16.                  Israel Cycling Academy

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Ivo Oliveira brilha na corrida da Paz, Rafael Reis 4º na Boucles de la Moyenne

Fonte: Facebook Ivo Oliveira


Ivo Oliveira conquista a sua primeira vitória no UCI, no prologo da Corrida da Paz, na Republica Checa, a contar para a Taça das Nações.

Ivo cumpriu o pequeno percurso de 2kms em 2:13 que bateu por 2 centésimas e 3 centésimas, o 2º e 3º lugar, Casper Pedersen (Dinamarca) e Kevin Genets (Luxemburgo), respetivamente. O trabalho de pista do corredor luso ajudou a conquistar a vitória.
A restante Armanda lusa conquistou o 29º com João Almeida (+7’’), o 54º com Tiago Antunes foi (+9’’), o 59º de Jorge Magalhães (+10’’), o 107º David Ribeiro  (+17’’) e Gonçalo Carvalho terminou na 113º (+21’’).

De salientar que, independentemente do que possa acontecer daqui para frente na prova, o objetivo inicial está cumprido. Graças a esta vitória, Portugal garante lugar nos Campeonatos do Mundo, na Noruega no próximo mesmo de setembro.

O vencedor, Johan Le Bom
Fonte: Site Oficial

Na prova francesa Boucles de la Moyenne, Portugal colocou os dois participantes no Top 10. Rafa Reis foi apenas batido por 3 segundos, o que o coloca na 4ª posição, Já Ricardo Vilela terminou os 4,5kms em 5:55, mais 7 segundos que o vencedor Johan Le Bom. O brigantino é 10º.


Foto: CyclingNews


No Tour do Luxemburgo, o homem da casa Jempy Drucker venceu a primeira etapa em linha e ascendeu à liderança da prova.  

Oscar Brea declarado vencedor do GP Dão

Foto: Site Oficial Clube Ciclismo de Tavira


Samuel Caldeira e Xuban Errazquin vencedores da Taça de Portugal

Passado quase 20 dias do sucedido na etapa em linha do Grande Prémio do Dão, em comunicado a Direção da Federação Portuguesa de Ciclismo declara a anulação da etapa em questão e a expulsão dos corredores que impediram que a prova fosse reiniciada após o problema de segurança. Com isso, o corredor Oscar Brea subiu à primeira posição "conquistando" o Grande Prémio. 

Em relação à Taça de Portugal, mesmo devido a esta situação, não ocorrerão alterações de calendário ou regras, o que dá a vitória ao corredor Samuel Caldeira (W52-FCPorto) nas elites e ao Xuban Errazquin (RP Boavista) nos sub-23.


A Federação Portuguesa de Ciclismo enviou um oficio à Secretaria de Estado da Administração Interna, lamentando os factos ocorridos e solicitando uma tomada de posição para garantir que o acompanhamento dos eventos desportivos de ciclismo seja assegurado por uma única força de segurança, desde a partida à chegada, incluindo todas as etapas das provas por etapas.” Excerto retirado do comunicado da página oficial do UVP-FPC.

A equipa do Ciclismo Mundial apoia esta tomada de decisão, visto que, temos que primordialmente garantir a segurança dos nossos corredores e dos restantes utilizadores da via pública.