sábado, 25 de junho de 2016

Rúben Guerreiro sagra-se Campeão Nacional de sub-23.



Escrito por: Marco Faria

Rúben Guerreiro (Axeon-Hagens Berman) sagrou-se hoje Campeão Nacional de Fundo na categoria de sub-23.

Depois de uma prova praticamente toda na fuga, Guerreiro acabou por ser absorvido pela perseguição comandada pela formação da Liberty Seguros/Carglass. Na fase decisiva da última volta, atacou de novo, sem resposta possível dos seus adversários.

Guerreiro terminou assim isolado, com o segundo a ser Hugo Nunes (Anicolor), a 20 segundos, e o terceiro Nuno Bico (Klein Constantia), a 31s.


Amanhã disputa-se a prova de estrada para os elites. Os corredores vão percorrer o exigente circuito de 16,1 quilómetros do Bom Jesus ao Sameiro, numa totalidade de 11 vezes, somando assim 177,1 quilómetros.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Nelson Oliveira voa para 4ª título de Campeão Nacional de Contrarrelógio.



Escrito por: Diogo Martins

Sobre calor das ruas de Braga, num circuito de 4 voltas com 9 kms cada, o corredor da Bairrada e da Movistar impões a sua superioridade na especialidade e bateu toda a concorrência com mais de 1 minuto!!!

José Mendes foi 2º classificado, melhorando o 3º lugar do ano passado, mas foi insuficiente para bater o super Nelson.

A fechar o pódio, Rafael Reis, que sendo o mais vitorioso internamente, voltou a mostrar que sabe rolar em cadências elevadas. P Rafael acusou talvez o cansaço de não estar habituado a contrarrelógios tão longos, já que foi cedendo segundos em todas as voltas. Relembro que foi o melhor no primeiro ponto de cronometragem! Ainda assim fica o excelente registro do corredor azul e branco.

José Gonçalves e Ricardo Vilela, corredores da Caja Rural, fecharam ao Top 5.

Fica a curiosidade que Nelson Oliveira fez menos 10 segundos que no ano passado, no mesmo percurso com a mesma quilometragem!

Classificação:
Pos.
Nome
Equipa
Dif.
Nélson Oliveira
Movistar

José Mendes
Bora-Argon 18
1m13s
Rafael Reis
W52/FC Porto
m.t.
José Gonçalves
Caja Rural
1m26s
Ricardo Vilela
Caja Rural
2m37s
Daniel Silva
Rádio Popular/Boavista
3m04s
Joaquím Silva
W52/FC Porto
3m17s
Hugo Sabido
Sporting/Tavira
3m36s
Antóinio Barbio
Efapel
3m48s
10º
Rui Sousa
Rádio Popular/Boavista
3m50s

Gaspar Gonçalves novo campeão nacional de contrarrelógio em sub-23.



Escrito por: Marco Faria

O corredor Gaspar Gonçalves (Liberty Seguros/Carglass) é o novo campeão nacional de contrarrelógio em sub-23, depois de ser o mais rápido nos 27 quilómetros de prova, disputada hoje em Tenões, Braga.


O segundo classificado foi Jorge Magalhães (Anicolor), a 14 segundos, e no terceiro terminou Ivo Oliveira (Liberty Seguros/Carglass), a 22.

sábado, 18 de junho de 2016

Daniel Freitas novo líder da Taça de Portugal.



Escrito por: Diogo Martins


Uma vez mais, Juan Pérez aproveitou a sua excelente ponta final, para bater João Benta e vencer o Troféu Concelhio de Azeméis. Daniel Freitas fecha em 3º lugar e sobe à liderança da Taça de Portugal. Uma prova, com mais um grande domínio da W52-FCPorto tendo 5 corredores nas primeiras 14 posições, a vitória por equipas, pontos (Freitas) e da Juventude (João Rodrigues), além da vitória final de Pérez. Nas restantes classificativas, António Almeida da EFAPEL leva para casa a liderança das metas volantes, enquanto que Valter Pereira da Sporting/Tavira venceu a classificação da montanha. 

Izaguirre vence etapa, López novo líder da Volta à Suíça.



Escrito por: Marco Faria

O corredor espanhol Ion Izagirre (Movistar), venceu a oitava etapa da Volta à Suíça, um contrarrelógio individual de 16,8 quilómetros com partida e chegada em Davos.

Izagirre deixou para segundo Miguel Ángel López (Astana), a 18 segundos e para terceiro Fabian Cancellara (Trek-Segafredo), a 19.

Warren Barguil (Giant-Alpecin), líder à partida, cedeu a sua liderança ao colombiano da Astana, ao perder 57 segundos na etapa de hoje.

López é o novo líder, com Andrew Talansky (Cannondale), no segundo posto a 8 segundos e Izagirre, no terceiro a 16.

Quanto aos portugueses, Rui Costa (Lampre-Merida), terminou no 19º posto, a 53s, Bruno Pires (Roth), 83º, a 2m17s e Mário Costa (Lampre-Merida), 137º, 4m27s.

Na geral, Rui Costa mantêm o 10º posto, a 2m09s, Bruno Pires, 103º, a 1h04m52s e Mário Costa, 118º, a 1h13m50s.


Amanhã disputa-se a última tirada, os corredores vão percorrer 117,7 quilómetros, com partida e chegada a  Davos.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Tejay Van Garderen vence sétima etapa da Volta à Suíça.



Escrito por: Marco Faria

O corredor norte-americano Tejay Van Garderen (BMC), venceu a sétima etapa da Volta à Suíça, aquela que é era considerada a etapa rainha, com 224,3 quilómetros a ligar Arbon e Solden.

Van Garden deixou para segundo Miguel Ángel López (Astana), e para terceiro Warren Barguil (Giant-Alpecin), terceiro, ambos a 16 segundos.

Van Garderen atacou a 5 quilómetros da meta e não mais foi alcançado pelos seus perseguidores diretos.

Na liderança está Warren Barguil, no segundo posto está Miguel Ángel López, a 21 segundos e no terceiro Andrew Talansky (Cannondale), a 24 segundos.

Quanto aos portugueses, Rui Costa (Lampre-Merida), terminou no 7º posto, a 49s de Van Garderen, Bruno Pires (Roth), 40º, a 11m31s e Mário Costa (Lampre-Merida), 99º, a 19m36s.

Na geral, Rui Costa subiu ao 10º posto, a 1m55s, Bruno Pires, 103º, a 1h03m14s, Mário Costa, 117º, 1h10m02s.


Este sábado disputa-se a oitava etapa, um contrarrelógio individual com partida e chegada a Davos, com 16,8 quilómetros de extensão.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Peter Weening vence sexta etapa da Volta à Suíça.



Escrito por: Marco Faria

O corredor holandês Pieter Weening (Roompot Oranje Peloton) venceu a sexta tirada da Volta à Suíça, uma etapa de montanha com 162,8 quilómetros a ligar Weeen e Amden.

Weening venceu em solitário na chegada a Amden, com o segundo a ser Maximiliano Richeze (Etixx-QuickStep), e o terceiro Maciej Paterski (CCC Sprandi), terceiro, ambos a 3m57s.

Wilco Kelderman (Lotto-NL Jumbo) terminou a 4m31s de Weening, com a companhia de Andrew Talansky (Cannondale), e de Warren Barguil (Giant-Alpecin).

Com este resultado Kelderman assume a liderança da prova, com Barguil a subir ao 2º posto a 16 segundos, e no terceiro Talansky, a 19 segundos.

Quanto aos portugueses, Rui Costa (Lampre-Merida), terminou a tirada de hoje no 18º posto, a 5m30s, Mário Costa (Lampre-Merida), 135º, Bruno Pires (Roth), 137º, ambos a 22m53s. Tiago Machado (Katusha), não terminou a etapa de hoje.

Na geral, Rui Costa é 11º, a 1m34s, Mário Costa, 126º, 50m54s e Bruno Pires, 129º, 52m11s.


Amanhã disputa-se a sétima etapa, uma ligação entre Arbon e Solden, naquela que é considerada a etapa rainha da prova.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Darwin Atapuma vence quinta tirada da Volta à Suíça.



Escrito por: Marco Faria

O corredor colombiano Darwin Atapuma (BMC) venceu a quinta etapa da Volta à Suíça, uma etapa de montanha com 126,4 quilómetros a ligar Brig-Glis a Carì.

Atapuma venceu a etapa, deixando para segundo Warren Barguil (Giant-Alpecin), a 4 segundos e para terceiro o novo líder da prova, Pierre-Roger Latour (AG2R-La Mondiale).

Atapuma é um dos sobreviventes da fuga do dia, composta por 24 corredores. Desses 24 apenas 7 se mantiveram unidos até à fase decisiva, na subia para a estância de esqui de Carì, Atapuma atacou e não mais foi alcançado pelos seus companheiros de fuga.

Na geral, Latour é o novo líder, com Wilco Kelderman (Lotto NL-Jumbo), é segundo com o mesmo tempo, e o terceiro é Geraint Thomas (Sky), a 5 segundos.

Quanto aos portugueses, Rui Costa (Lampre-Merida) terminou no 8º posto, a 16s de Atapuma, Tiago Machado (Katusha), foi 34º, a 4m56s, Bruno Pires (Roth), 84º, a 20m52s e Mário Costa (Lampre-Merida), 112º, a 23m34s.

Na geral, Rui Costa sobe ao 11º posto, a 35s de Latour, Tiago Machado, 27º, a 5m57s, Mário Costa, 124º, a 32m32s e Bruno Pires, 126º, a 33m49s.


Amanhã disputa-se a sexta tirada, uma ligação entre Weesen e Amden com 162,8 quilómetros de extensão, onde as montanhas vão trazer de novo espetáculo.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Maximiliano Richeze vence quarta etapa da Volta à Suíça.



Escrito por: Marco Faria

O corredor argentino Maximiliano Richeze (Etixx-QuickStep), venceu a quarta tirada da Volta à Suíça, uma ligação entre Rheinfelden e Champagne com 193 quilómetros de extensão.

Richeze impôs-se no sprint final, deixando para segundo o seu colega de equipa Fernando Gaviria e para terceiro Peter Sagan (Tinkoff), todos com o mesmo tempo.

Sagan mantêm assim a liderança da prova, com Jurgen Roelandts (Lotto-Soudal), no segundo e Silvan Dillier (BMC), no terceiro, ambos a 9 segundos.

Quanto aos portugueses, Rui Costa (Lampre-Merida), terminou no 15º posto, a 2 segundos de Sagan. Tiago Machado (Katusha) foi 83º, a 31 segundos, Mário Costa (Lampre-Merida), 148º, a 3m22s e Bruno Pires (Roth), 159º, a 3m49s.

Na geral, Rui Costa é 29º, a 51s, Tiago Machado é 38º, a 1m33s, Mário Costa, 127º, 9m30s e Bruno Pires, 135º, 13m29s.


Esta quinta-feira disputa-se a quinta tirada, uma etapa montanhosa com 126,4 quilómetros de extensão a ligar Brig-Glis e Carì.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Peter Sagan vence terceira tirada da Volta à Suíça.


Escrito por: Marco Faria

O corredor eslovaco Peter Sagan (Tinkoff) venceu pela segunda vez consecutiva na Volta à Suíça, ao ser o mais forte no sprint final da terceira tirada, a ligar Grosswangen e Rheinfelden, com 192,6 quilómetros de extensão, assumindo a liderança da prova.

Sagan deixou para segundo Michael Albasini (Orica-GreenEdge) e para terceiro Silvan Dillier (BMC Racing), todos com o mesmo tempo.

O primeiro do pelotão foi Maximiliano Richeze (Etixx-QuickStep), a 3 segundos de Sagan e companhia.

Com este resultado, Sagan assume a liderança da prova, com Jorgen Roelandts (Lotto-Soudal), no segundo posto e Silvan Dillier no terceiro, ambos a 3 segundos do eslovaco.

Quanto aos portugueses, Rui Costa (Lampre-Merdia) terminou hoje no 8º posto, a 3 segundos de Sagan, Tiago Machado (Katusha), foi 29º, a 17s, Mário Costa (Lampre-Merida), 97º, a 5m07s, e Bruno Pires (Roth), 133º, a 7m01s.

Na geral, Rui Costa é 31º, a 45s, Tiago Machado, 36º, a 56s, Mário Costa, 115º, a 6m04s e Bruno Pires, 133º, a 9m36s.

domingo, 12 de junho de 2016

Peter Sagan vence segunda etapa da Volta à Suíça.



Escrito por: Marco Faria

O corredor eslovaco Peter Sagan (Tinkoff), venceu a segunda etapa da Volta à Suíça, uma etapa com partida e chegada a Baar, com 188 quilómetros de extensão.

Sagan deixou para segundo Maxililiano Richeze (Etixx-QuickStep), e para terceiro Michael Matthews (Orica-GreenEdge), todos com o mesmo tempo.

Fabian Cancellara (Trek-Segrafredo) perdeu hoje a liderança da prova, o pelotão partiu-se e o suíço ficou na traseira, um corte de apenas 3 segundos foi o suficiente para entregar a liderança a Jurgen Roelandts (Lotto-Soudal).

Cancellara é agora segundo na geral, a 1 segundo do belga, enquanto que Luke Durbridge (Orica-GreenEdge), é terceiro, a 6 segundos.

Quanto aos portugueses, Rui Costa (Lampre-Merida) foi 25º, Tiago Machado (Katusha), 72º e Mário Costa (Lampre-Merida), todos a 3 segundos. Bruno Pires (Roth), foi 155º, a 1m47s.

Na geral, Machado é 80º, a 41 segundos, Rui Costa, 83º, a 42s, Mário Costa, 117º, a 57s e Pires, 150º, a 2m35s.


Amanhã disputa-se a 3ª etapa, uma ligação entre Grosswangen e Rheinfelden, com 192,6 quilómetros de extensão.

Chris Froome vence Dauphiné.



Escrito por: Marco Faria

O corredor britânico Chris Froome (Sky) venceu pela terceira vez o Critérium du Dauphiné, reforçando assim o seu nome na lista de favoritos à vitória da Volta a França.

No segundo posto da geral terminou Romain Bardet (AG2R-La Mondiale), a 12 segundos, e em terceiro Daniel Martin (Etixx-QuickStep), a 19. O quarto posto foi para Richie Porte (BMC), a 21 segundos e no quinto para Alberto Contador (Tinkoff), a 35.

A vitória de etapa foi para Stephen Cummings (Dimension Data), o único sobrevivente de uma fuga formada ao quilómetro 25, terminando assim isolado na frente da corrida.

No segundo posto terminou Daniel Martin, e no terceiro Romain Bardet, ambos a 3m58s de Cummings.

Quanto aos portugueses, André Cardoso (Cannondale), foi 26º, a 7m56s, Nelson Oliveira (Movistar), 58º, a 14m39s e Sérgio Paulinho (Tinkoff), não terminou no dia de hoje.


Na geral, Cardoso é 27º, a 19m27s e Oliveira 41º, a 37m05s.

sábado, 11 de junho de 2016

Fabian Cancellara primeiro líder da Volta à Suíça.



Escrito por: Marco Faria

O corredor suíço Fabian Cancellara (Trek-Segafredo), é o primeiro líder da Volta à Suíça, depois de vencer o contrarrelógio inaugural de 6,4 quilómetros, disputado em Baar.

Cancellara deixou para segundo Jurgen Roelandts (Lotto-Soudal), a 1 segundo e para terceiro Luke Durbridge (Orica-GreenEdge), a 2 segundos.

Cancellara aproveitou as boas condições atmosféricas para se instalar na liderança e não mais ser batido pela concorrência.


Quanto aos portugueses, Tiago Machado (Katusha), terminou no 89º posto, a 37 segundos, Rui Costa (Lampre-Merida), 97º, a 38s, Bruno pires (Roth), 128º, a 47s e Mário Costa (Lampre-Merida), 147º, a 53s.

Thibaut Pinot vence sexta tirada do Dauphiné.



Escrito por: Marco Faria

O corredor francês Thibaut Pinot (FDJ) venceu a sexta etapa do Critérium du Dauphiné, uma etapa de montanha com 141 quilómetros de extensão a ligar La Rochette e Méribel.

Pinot foi o mais forte na chegada, deixando para segundo Romain Bardet (AG2R), com o mesmo tempo, e para terceiro Daniel Martin (Etixx-QuickStep), a 1m04s.

Chris Froome (Sky) foi quarto, a 1m07 segundos, com Alberto Contador (Tinkoff) a terminar no 6º posto a 1m15s e Richie Porte (BMC), no 10º, a 1m21s, ambos a ceder tempo na geral para o britânico.

Na geral, Froome é líder, com Porte no segundo posto e Romain Bardet no terceiro, ambos a 21 segundos de Froome.

Quanto aos portugueses, André Cardoso (Cannodale) terminou a jornada no 32º posto, a 11m13s de Froome, Nelson Oliveira (Movistar) foi 52º, a 19m41s e Sérgio Paulinho (Tinkoff) 105º, a 27m57s.

Na geral, Cardoso é 31º, a 15m34s, Oliveira 44º, a 26m29s e Paulinho 135º, a 1h18m46s.


Amanhã disputa-se a sétima e última tirada, uma ligação entre Le Pont de Claix e Superdevouluy com 151 quilómetros de extensão e chegada coincidente com uma montanha de 3ª categoria.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Chris Froome é o novo líder do Dauphiné.



Escrito por: Marco Faria

O corredor britânico Chris Froome (Sky), venceu a quinta etapa do Critérium du Dauphiné, uma tirada com 140 quilómetros de extensão a ligar La Raviore e Vaujany.

Um ataque quando faltavam 2,6 quilómetros para a meta, permitiu que Froome se adiantasse, e ganhasse assim alguns segundos aos seus rivais.

No segundo posto terminou o australiano Richie Porte (BMC), a 1 segundo, e no terceiro Adam Yates (Orica-GreenEdge), a 19 segundos. O anterior líder, Alberto Contador (Tinkoff), terminou no 5º posto, a também 19 segundos.

Na geral, graças ás bonificações, Froome é líder com 7 segundos para Porte, e 27 para Contador.

Quanto aos portugueses, André Cardoso (Cannondale) terminou a etapa de hoje no 45º posto, a 3m20s de Frome, Nelson Oliveira (Movistar), 54º, a 5m42s e Sérgio Paulinho, 121º, a 16m08s.

Na geral, Cardoso é 39º, a 5m28s, Oliveira é 45º, a 7m55s e Paulinho é 146º, a 51m56s.


Amanhã disputa-se a 6ª etapa, uma ligação entre La Rochette e Méribel com 141 quilómetros de extensão. Os corredores vão ultrapassar 5 contagens de montanha, com a chegada coincidente numa montanha de primeira categoria.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Edvald Boasson Hagen vence quarta tirada do Dauphiné.



Escrito por: Marco Faria

O corredor norueguês Edvald Boasson Hagen (Dimension Data) aproveitou a ligeira inclinação no sprint final para vencer a quarte etapa do Critérium du Dauphiné disputada entre Tain-l’ Hermitage e Belley, com 176 quilómetros de extensão.

Boasson Hagen, deixou para segundo o francês Julian Alaphilippe (Etixx-QuickStep), e para terceiro Nacer Bouhanni (Cofidis), ambos com o mesmo tempo do vencedor.

Chris Froome (Sky) aproveitou um corte no pelotão principal para ganhar 9 segundos aos seus adversários.

Com isto, Alberto Contador (Tinkoff) vê Chris Froome subir ao segundo posto a 4 segundos e Richie Porte (BMC), descer para terceiro a 6 segundos.

Quanto aos portugueses em prova, André Cardoso (Cannondale), terminou a etapa de hoje no 45º posto, Nelson Oliveira (Movistar), foi 61, ambos a 9 segundos do vencedor. Sérgio Paulinho (Tinkoff), terminou n o 133º, a 1m24s.

Na geral, André Cardoso é 43º, a 2m02s e Nelson Oliveira é 44º, a 2m07s, enquanto que Sérgio Paulinho é 161º, a 35m42s.


Quanto à etapa de amanhã, uma ligação entre La Ravoire e Vaujany, com 140 quilómetros de extensão. Os corredores vão enfrentar 7 contagens de montanha, sendo as mais importantes o Col du Barrioz (de 1ª categoria) e o último de segunda categoria, coincidente com a meta.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Volta a Portugal ‘16: Tudo o que precisa de saber Parte I.



Escrito por: Diogo Martins

Iniciamos o nosso roteiro pela 78ª edição da Volta a Portugal no dia da sua apresentação. Depois de no ano passado termos sido aceites com órgão de comunicação social, e termos estado presentes e várias etapas; este ano elevamos a fasquia e queremos que o nosso publico alvo, amantes da modalidade, tenham acesso a um conjunto de informações uteis, diretas e consintas.

Este ano, a Volta tem uma (várias na realidade) novidade. O Banco Santander Totta passou a ser o principal patrocinador, terminando com o poder dos últimos três anos da Liberty Seguros (atenção, só apenas com patrocinador principal). Para não deixar dúvidas, a companhia de seguro é um dos maiores investidores no ciclismo, e este ano passa ser “dono” da camisola que todos os trepadores tencionam alcançar, a Camisola Azul, símbolo da liderança da Montanha. Na realidade, todos os grandes patrocinadores tiveram alterações. O portador da camisola dos pontos, regularidade para alguns, passou a ser verde, patrocinada pela Rubis Gás, deixando o vermelho do Banco Bic. Em relação à juventude, a RTP continua a ser a patrocinadora. Nomeadamente às continuidades de outros patrocínios, A Nobre, a Kia e a Delta Cafés, continuarão a pertencer à caravana da Volta com prémios intermédios, combinada e melhor português.

Uma boa novidade, que apesar de já se saber, foi a confirmação. Teremos um maior número de equipas estrangeiras mais importantes e de escalões superiores. Para além da habitual Caja Rural, junta-se a Italiana Androni Giocattoli, a Australiana Drapac, a Suíça de Bruno Pires, Team Roth e também os brasileiros da FunvicSoul Cycles, tornando o lote de equipas Continental Pro, 2º escalão da UCI, bem grande, o que na prática é benéfico para a prova. No escalão Continental, além das 6 equipas portuguesas e da habitual russa Lokosphinx, a Grandíssima terá presente a equipa Astana City (Cazaquistão dita a equipa B da Astana), Inteja-MMR (Republica Dominicana), Boyacá (Columbia), Christina Jewelry (Alemanha), Armée de Terre (a equipa de militares franceses) e os nossos vizinhos da Euskadi-Murias.

O percurso não foge muito ao que foi comunicado há umas semanas. Com prólogo inicial de 3,6 kms em Oliveira de Azeméis e um contrarrelógio no ultimo dia, em vez da habitual etapa de consagração, com 32 kms decisivos entre Vila Franca de Xira e o centro da Capital (Lisboa). A etapa rainha já tinha sido apresentada e partilhada na nossa página do Facebook, “Uma ligação de 174 kms entre Belmonte e Guarda marca o adeus temporário da mítica chegada à Torre. A Torre deixa de ser a meta, mas não desaparece. Passará a ser uma contagem especial a dobrar, isto é, os corredores escalaram, aos kms 44,7 e 104,3 da prova, o ponto mais alto de Portugal continental. A etapa terá ainda mais 3 contagens de montanha de 3ª categoria, sendo a ultima coincidente com a chegada na Guarda.”

Após os cortes e perdas de tempo em Oliveira de Azeméis, o pelotão vai enfrentar uma etapa muito semelhante à realizada em 2014, com partida em Ovar, passagem em Sobrado e Santo Tirso e chegada a Braga, com dupla passagem pelo Sameiro. Uma segunda tirada que tem tudo para ser histórica, esperemos que seja pelos bons motivos (quedas e furos serão bem prováveis), com o famoso salto de Pedra Sentada de Fafe. A meta estará no centro da cidade, sensivelmente 20 kms do salto. No sábado, o pelotão terá que percorrer uma etapa 100% transmontana:  Montalegre a Macedo de Cavaleiros. Como não podia faltar, domingo, dia de família, é o famoso Monte Farinha. Uma etapa longa, com partida em Bragança, os corredores terão nesse dia a única chegada em alto. Deverá ser tudo menos tranquila. A ultima etapa da primeira parte da Grandíssima terá partida em Lamego e chegada a Viseu, cidade que no dia seguinte, receberá a Etapa da Volta.

A segunda parte da prova, chega em força com a etapa rainha, que foi já explicada atrás. Em contrapartida, a etapa do dia seguinte será acessível, sendo a mais plana (no papel) de toda prova. A 8ª etapa será dia de novas aventuras, com o fim a aproximar-se todos quererão fazer diferenças e etapa poderá ser propicia a isso. Partida na Nazaré, passagem por Torres Vedras e a serra de Montejunto até à chegada a Arruda dos Vinhos. Penúltima etapa, ultima em linha, a serra da Arrábida a 20 kms antes da chegada será palco dos ultimas diferenças antes do grande ultimo dia.  

Deixamos os perfis das etapas para poderem analisar ao vosso gosto. Avisamos já que é a Volta a Portugal, escusam de acusar que está mais centrada a Norte, a Este, Oeste, Nordeste, Noroeste, Interior, Litoral, etc. É a Volta ao nosso país ponto. As grandes voltas não passam por todo lado, por vezes nem a um quinto do país! Mais para a frente faremos, com todo o gosto, uma analise mais cuidada das etapas.


Fiquem connosco. 

Prólogo:

1ª etapa:


2ª etapa:


3ª etapa:


4ª etapa:


5ª etapa:


6ª etapa:


7ª etapa:


8ª etapa:


9ª etapa:


10ª etapa:


Fabio Aru vence terceira tirada do Dauphiné.



Escrito por: Marco Faria

O corredor italiano Fabio Aru (Astana) venceu a terceira tirada do Critériu du Dauphiné, uma etapa com 182 quilómetros de extensão a ligar Boen sur Lignon e Tournon sur Rhone.

Aru venceu em solitário, com o segundo a ser Alexander Kristoff (Katusha) e o terceiro Niccolo Bonifazio (Trek-Segafredo), ambos a 2 segundos.

Na geral, Alberto Contador (Tinkoff), mantêm a liderança, com Richie Porte (BMC) no segundo posto a 6 segundos e Chris Froome (Sky), no terceiro a 13s.

Quanto aos portugueses, André Cardoso (Cannondale) terminou a etapa de hoje no 46º posto, enquanto que Nelson Oliveira (Movistar), foi 61º, ambos a 2 segundos de Aru. Sérgio Paulinho (Tinkoff), foi 146º, a 11m32s.

Na geral, Cardoso é 41º a 2m02s, Oliveira é 43º, a 2m07s e Paulinho é 165º, a 34m27s.


Esta quarta-feira disputa-se a quarta tirada, uma ligação entre Tain L’Hermitage e Belley, com 176 quilómetros de extensão.

terça-feira, 7 de junho de 2016

José Herrada vence segunda etapa do Dauphiné.



Escrito por: Marco Faria

O corredor espanhol Jesús Herrada (Movistar) venceu a segunda etapa do Critérium del Dauphiné com uma ligação entre Creches sur Saone e Chalmazel Jeansangniére, com 167,5 quilómetros de extensão.

Herrada, arrancou nos 500 metros finais lançado por o seu companheiro de equipa Daniel Moreno e venceu a etapa, com o francês Tony Gallopin (Lotto-Soudal) no segundo posto e no terceiro Serge Powels (Dimension Data), ambos a 2 segundos do espanhol.

Na geral mantêm-se tudo igual, Alberto Contador (Tinkoff) segue na liderança, com Richie Porte (BMC), no segundo posto a 6 segundos e Chris Froome (Sky), no terceiro a 13.

Quanto aos portugueses, na etapa de hoje André Cardoso (Cannondale) foi 41º, a 21s de Herrada, enquanto que Nelson Oliveira (Movistar) foi 53º, a 50s. Sérgio Paulinho terminou no 157º posto, a 19m29s.

Na geral Cardoso é 43º, a 2m02s, Oliveira é 46º, a 2m07s e Paulinho é 168º, a 22m57s.


Amanhã disputa-se a terceira etapa, uma ligação entre Boen sur Lignon e Tournon sur Rhone com 182 quilómetros.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Nacer Bouhanni vence primeira etapa do Dauphiné.



Escrito por: Marco Faria

O corredor francês Nacer Bouhanni (Cofidis) venceu a primeira etapa em linha do Dauphiné, uma tirada com 186 quilómetros disputada entre Cluses e Saint-Vulbas.

Bouhanni deixou para segundo Jena Desschere (Lotto-Soudal) e para terceiro Sam Bennet (Bora-Argon 18), todos com o mesmo tempo.

Na geral mantêm-se tudo igual, Alberto Contador (Tinkoff) mantêm a liderança, com Richie Porte (BMC) no segundo posto, a 6 segundos e Chris Froome (Sky) no terceiro, a 13 segundos.

Quanto aos portugueses, na etapa de hoje André Cardoso (Cannondale) terminou a etapa no 53º posto enquanto que Nelson Oliveira (Movistar) terminou no 101º posto, ambos com o mesmo tempo de Bouhanni. Sérgio Paulinho (Tinkoff), terminou no 162º posto a 1 minuto de Bouhanni.


Na geral, Nelson Oliveira é 49º, a 1m19s, André Cardoso, 70º, a 1m43s e Sérgio Paulinho, 154º, a 3m30s.

domingo, 5 de junho de 2016

Rafael Reis vence GP Jornal de Noticias.



Escrito por: Diogo Martins

Uma etapa bastante atacada logo desde os primeiros quilómetros, especialmente, pela W52-FCPorto, resultou numa grande vitória de António Carvalho, diante de milhares de espectadores. O corredor portista (de coração e de camisola) bateu ao sprint Rinaldo Nocentini e Rafael Reis. Rafael Reis beneficiou da descolagem do seu colega Alarcon e Daniel Mestre, que eram à partida segundo e primeiro da geral (estes dois chegaram apenas 18 minutos após Carvalho!!)

Gaspar Gonçalves acabou por mostrar o que vale, mais uma vez, sendo 12º na etapa, primeiro jovem, e garantiu a sua camisola branca. Por outro lado, Pablo Guerrero, que já ontem tinha garantido liderança da montanha, teve um dia tranquilo apenas para cumprindo os quilómetros da etapa.

Daniel Mestre garantiu a camisola por pontos, merecida, pela regularidade do corredor alentejano. Raul Alarcon que também teve uma excelente performance na prova, leva para casa a liderança das metas volantes.

A W52-FCPorto, fazendo 1º e 2º, que dominou por completo os 4 dias, foi a melhor equipa.


A etapa, caso tivesse tido transmissão televisiva, teria sido imprópria para cardíacos devido à intensidade e à loucura com que foi feita.

Alberto Contador primeiro líder do Dauphiné.



Escrito por: Marco Faria

O corredor espanhol Alberto Contador (Tinkoff), venceu a primeira etapa do Dauphiné, um prólogo de montanha com 4 quilómetros de extensão e uma pendente média de 9.7%.

Contador deixou para segundo Richie Porte (BMC), a mais 6 segundos e para terceiro Chris Froome (Sky), a 13.

Quanto aos portugueses, o melhor foi Nelson Oliveira (Movistar), no 52º posto a 1m19s, André Cardoso (Cannondale), foi 83º, a 1m43s e Sérgio Paulinho (Tinkoff), foi 134º, a 2m30s.

Esta segunda-feira, disputa-se a primeira etapa em linha, uma ligação entre Cluses a Saint-Vulbas com 186 quilómetros de extensão.